Conheça a função da Testosterona no organismo

A testosterona é o principal hormônio sexual responsável pelo desenvolvimento da função reprodutiva nos vertebrados masculinos. A testosterona é um dos hormônios referidos como andrógenos, que também são conhecidos como esteroides anabolizantes. Como um hormônio esteroide, a testosterona é derivada do colesterol e a estrutura desse hormônio é a mesma em todos os mamíferos, répteis, aves e peixes.

Função da Testosterona

A testosterona é necessária para o desenvolvimento de órgãos sexuais masculinos, como o aumento do tamanho do pênis e dos testículos. O hormônio também promove o desenvolvimento de características masculinas sexuais durante a puberdade, como a mudança de tom de voz e o crescimento de pelos na axila, tórax e região púbica. A testosterona desempenha um papel importante na manutenção do desejo sexual, produção de esperma, força muscular e massa óssea. Um nível saudável de testosterona também protege contra distúrbios ósseos, como a osteoporose.

Como a testosterona é necessária para tantas funções corporais, ela é considerada o percussor da saúde e do bem-estar e foi classificado como o hormônio mais importante nos homens. Entretanto, a testosterona também é importante para manter a força óssea e a massa muscular magra nas mulheres.

Este hormônio desempenha um papel fundamental no desejo sexual de uma mulher e é responsável por aumentar o prazer sexual durante as relações sexuais. No entanto, os níveis de testosterona produzidos pelas mulheres são dez vezes menores do que a quantidade produzida pelos homens.

testosterona tem um efeito positivo em muitos aspectos da saúde

A testosterona tem um efeito positivo em muitos aspectos da saúde, incluindo:

  • Perda de gordura e ganho de massa muscular.
  • Aumento da libido, qualidade da ereção, prazer e desempenho sexual.
  • Auxilia no combater a certas doenças como o Mal de Alzheimer e condições cardiovasculares.
  • Ativa as funções cognitivas e melhora o humor.
  • Combate a depressão e os quadros de ansiedade.
  • Aumenta a resistência dos ossos.

Produção

A maioria da testosterona é produzida nos testículos, por isso o termo “testosterona”. O hormônio também é produzido em pequenas quantidades pela glândula adrenal. A produção deste hormônio é controlada pelo hipotálamo e a glândula pituitária no cérebro. A glândula pituitária recebe instruções do hipotálamo sobre a quantidade de testosterona que precisa produzir e transmite esta informação aos testículos através de químicos e hormônios presentes na corrente sanguínea.

Diminuição da testosterona

Os níveis de testosterona atingem o pico durante a adolescência e início da idade adulta e começam a diminuir após os 30 anos de idade. O nível de testosterona diminui aproximadamente 1% a cada ano depois que um homem atingiu 30 anos de idade.

Em homens mais velhos, é comum o surgimento de uma condição médica chamada de hipogonadismo, que é a redução de produção da testosterona pelos testículos.  Nas mulheres, metade da testosterona é produzida pelos ovários e pelas glândulas suprarrenais. O restante é produzido através da conversão de andrógenos adrenais em outras partes do corpo.

Como melhorar os níveis de testosterona

Agora que temos um melhor entendimento da testosterona, sabemos também que isso não é uma “sentença de morte”. Estão disponíveis no mercado os tratamentos mais radicais, como a TRT – Terapia de Reposição de Testosterona, Implantes subcutâneos, Adesivos Transdérmicos, Cremes e pomadas, Injeções subcutâneas e intramusculares.

Mas, devido aos efeitos colaterais de terapias como a TRT, por exemplo, muitos médicos recomendam acima de tudo uma abordagem natural para elevar os níveis de testosterona.

Uma dieta composta de alimentos oxigenadores é ideal para ativar as funções cerebrais, especialmente o hipotálamo e a glândula pituitária na produção de testosterona pelo próprio organismo. Os vegetais oxigenadores, como a couve flor, brócolis, castanhas e sementes auxiliam também em outras funções do cérebro como a cognição e a memória.

Compartilhe sua opinião